Love Brand: Como se Tornar uma Marca Amada Mesmo sendo um Pequeno Empreendedor

Uma love brand  (ou lovemark) é uma marcada que está entre as mais amadas e que lideram em seus segmentos no mercado.

O que muita gente não sabe é que não precisa ser um gigante para ser admirado. Um empreendedor que está começando já pode tomar ações para conquistar admiradores e até mesmo fãs.

Despertar identificação através dos valores é o grande diferencial de uma love brand.

É, sabemos que se tornar uma love brand é o sonho de muitos. Isso porque isso representa consolidação e solidez, estima e admiração.

Para atingir esse estágio de excelência, porém, é preciso dedicação e criatividade, focando no aperfeiçoamento do relacionamento com o público-alvo.

Quer aprender a como colocar em prática? Então, continue a leitura para aprender:

  • Os benefícios principais de se tornar uma love brand;
  • Os requisitos essenciais para se tornar uma love brand;
  • O Passo a Passo para se tornar uma love brand mesmo sendo pequeno;
  • Exemplo de love brands brasileiras;
  • O que faz uma marca ser amada.

Comportamentos e Tendências

Comportamentos e Tendências

Onipresença, agilidade e sustentabilidade são os três elementos-chave para as empresas, de acordo com uma publicação da IBM.

Tal estudo aponta para a tendência de que os consumidores estão mais preocupados com causas sociais e que buscam empresas que se alinhem com seus valores.

Ainda de acordo com a pesquisa, 40% dos consumidores buscam produtos e serviços alinhados aos seus valores.

Além disso, outro dado interessante é que 57% estão dispostos a mudar seus hábitos de compra para ajudar reduzir o impacto ecológico negativo.

Mas mais do que sustentabilidade e responsabilidade social, há inúmeros outros fatores que constroem uma marca amada.

Em um estudo publicado no Journal of Product and Brand Management, por exemplo, o amor por uma marca é o resultado de 5 dimensões que devem se integrar:

  • Comportamento apaixonado;
  • Compromisso;
  •  Afeto e conexão;
  • Identificação consumidor-marca e;
  • Relacionamento com a marca .

O Emocional Fala Mais Alto 

O Emocional Fala Mais Alto

Lovemarks se especializam na experiência dos consumidores e no conteúdo não comercial.

Na verdade, essa estratégia não é nenhuma novidade.  Há muito tempo se sabe da importância que o emocional tem na tomada de decisão.

Diferente de emoções negativas, como o marketing da escassez, as emoções positivas encorajam a difusão de conteúdo, com mais alcance e engajamento

Mas como provocar esse sentimento de admiração? Quais são os diferenciais das empresas mais amadas do momento?

Bem, nesse texto você vai conferir os benefícios, requisitos, dicas e exemplos de marca bem quistas pelos seus clientes.

4 Benefícios principais de se tornar uma Love Brand

4 Benefícios principais de se tornar uma Love Brand

Tornar-se uma Love brand requer esforço, mas os resultados são impressionantes. Através de laços de identificação formados, desenvolve-se uma confiança.

Nesse processo, sua empresa ganhará:

1 – Foco no valor e não no preço

1 – Foco no valor e não no preço

Ao oferecer conteúdos ricos, você atrai leads qualificados, que buscam muito mais do que o menor preço.

Ofertando valores e estabelecendo conceitos é possível elevar o status da sua marca, tornando-se mais luxuosa e única.

Assim, o valor dos produtos e serviços não serão os fatores mais decisivos para a tomada de decisão de compra. Mas sim, o valor agregado que sua imagem transmite.

2 – Fidelização do público

2 – Fidelização do público

Você irá se destacar no mercado e se sobressair entre a concorrência. Alimentando os sentimentos de admiração e identificação, sua comunidade se fideliza.

Ou seja, cada cliente se tornará leal, não cogitando outras opções. O que, por sua vez, traz receitas recorrentes e relacionamento duradouro entre marca e público.

3 – Fãs

3 – Fãs

O melhor benefício, sem dúvidas, é o poder do fandom.

Os clientes-fãs são engajados, defendem sua marca e promovem ela para seus conhecidos, gratuitamente.

Até porque a publicidade espontânea é uma ótima forma de crescimento orgânico. Contudo, exige uma nutrição delicada, em um relacionamento de reciprocidade.

4 – Imagem mais fortalecida

4 – Imagem mais fortalecida

Um negócio que está “bem na fita” fica mais fácil de crescer. Isso significa que quanto melhor for a imagem da sua empresa, maior será o tráfego e a receita.

É preciso fortalecer a percepção da opinião pública, se posicionando de forma ética e responsável. Dessa forma, sua empresa se consolida enquanto referência dentro do seu segmento.

4 Requisitos Essenciais Para se Tornar uma Love Brand

4 Requisitos Essenciais Para se Tornar uma Love Brand

Lovebrand é um título difícil de ser alcançado. Para tanto, é necessário uma verdadeira força-tarefa.

Como os conceitos de Customer Success (Sucesso do Cliente) já regem muitas corporações, que adotam culturas de atendimento mais humanizados.

Confira alguns dos elementos principais para se tornar uma lovemark.

1- Estratégia de Marketing

1- Estratégia de Marketing

Em primeiro lugar, é preciso ter um planejamento estratégico claro e objetivo. Deve haver um cuidado para criar e manter vínculos com a audiência.

O quer dizer desenhar metas táticas e operacionais, e programar a produção e distribuição dos conteúdos.

 São campanhas, postagens, padrões de comunicação entre outros fatores que constam neste plano, que deve ser bem construído cuidadosamente.

2 – Branding

2 – Branding

Em segundo lugar, o porquê que move sua empresa deve estar bem definido. Missão, visão, valores e  posicionamentos são essenciais e vão dirigir todas as decisões da rotina de trabalho.

É interessante revisitar ou criar o Brand Guide para que esteja tudo alinhado, tanto para o trabalho fluir quanto para gerenciar situações de crise.

Estabelecer o conceito de brand persona, isto é, desenvolver a personificação da sua marca, é fundamental. A partir da voz desse personagem, o fluxo de interações flui melhor.

3 – Esforço contínuo

3 – Esforço contínuo

Em terceiro lugar, pense que consolidar-se enquanto marca estimada é um processo de longo prazo. É necessário estar atento às novidades, seguindo a tendência dos consumidores always-on

A manutenção inclui, por exemplo, produzir conteúdo semanalmente, interagir diariamente em comentários, estar atualizado dos memes, revisar a linguagem, etc… Enfim, estar constantemente se aprimorando.

4 – Posicionamento

4 – Posicionamento

Em quarto lugar, vem o posicionamento.

Afinal, não dá mais para se fazer de desentendido. É prudente expor que sua empresa está comprometida com a responsabilidade social.

Fica feio não se posicionar, principalmente em assuntos diretamente ligados ao universo da sua marca. 

Com a crescente inclinação das pessoas às causas políticas e ambientais, é importante que no calor do momento sua equipe de comunicação esteja preparada.

Portanto, é preciso munir-se de informações consistentes para publicar a visão da marca.

Caminhos para o Amor – PASSO a PASSO mesmo sendo um Pequeno Empreendedor

Caminhos para o Amor – PASSO a PASSO mesmo sendo um Pequeno Empreendedor

Lovebrands são frutos de muito trabalho. O que quer dizer que infelizmente não há uma fórmula secreta para o amor.

Porém, algumas dicas podem ajudar nessa caminhada para melhorar a imagem da sua empresa. Para tal, siga os passos a seguir para conquistar definitivamente seu público-alvo.

1º PASSO – Relacionamento

1º PASSO – Relacionamento

O maior diferencial de uma lovemark é sua cultura de relacionamentos próximos, humanos e verdadeiros com os clientes.

Para tanto, é necessário que haja reciprocidade, que seja uma comunicação mútua e genuína.

Estar aberto ao público e fazer um atendimento humanizado pode ser trabalhoso.  

Para começar,  é bom contar com um trabalho de Social Media que esteja bem alinhado com o seu branding, por exemplo.

É necessário que haja uma constante nutrição, produções de conteúdos originais, indicações, comentários e respostas.

Dessa forma, a relação direta com cada usuário se permeabiliza e fica exposta como uma vitrine do que a marca é.

Entretanto, as ações precisam acontecer muito além das redes sociais. Em cada ponto de contato, o relacionamento precisa acontecer.

2º PASSO – Ter Identidade e ser adaptável

2º PASSO – Ter Identidade e ser adaptável

Cada uma das redes sociais ou plataforma de contato tem sua especificidade e forma de interação.

Por exemplo, Instagram foca em imagens, o Twitter em texto, o Youtube em vídeo, etc. É necessário estar e atuar em algumas delas, concomitantemente.

Nesses canais de comunicação abertos e latentes, formam-se laços emocionais por empatia e identificação.

Mas são ambientes de descontração e entretenimento. Portanto, deve-se lidar de forma humorada, com informalidade.

Como as redes sociais são espaços consagrados na atualidade, aproveite cada oportunidade de interatividade. É preciso se esforçar para se conectar verdadeiramente com a sua comunidade.

Na realidade, a única regra é ser você. Não tenha vergonha de aparecer e mostrar quem está por trás do seu negócio. Pessoas conectam com pessoas.

3º PASSO – Auto-Avaliação contínua

3º PASSO – Auto-Avaliação contínua

Analisar o desempenho da sua marca é relevante para a constante melhora dos esforços das equipes de trabalho.

Para isso, vale desde as métricas mais tradicionais (como taxa de clique e engajamento) até as mais subjetivas (como análise do conteúdo e teor dos comentários nas postagens).

Esses “termômetros” devem ser estudados e analisados.

Tudo para responder essa pergunta: Quais são as coisas que precisam ser reforçadas e as que precisam mudar?

Formulários de pesquisa de opinião e E-mail Marketing pedindo a avaliação também são boas formas de alimentar sua equipe com feedbacks.

Sempre há algo que possa melhorar. A humildade de reconhecer isso é importante para a evolução da marca.

4º PASSO – Foco na experiência

4º PASSO – Foco na experiência

Marketing de Experiência tem um papel fundamental na construção de uma love brand. É preciso pensar fora da caixinha para fazer algo surpreendente.

Seja na embalagem ou mensagem, o ideal é sempre tentar transformar a experiência de compra em um grande acontecimento. Existe uma forte tendência de conquistar através da personalização do atendimento.

Tanto para produtos quanto serviços é possível ir além. Um bom exercício para gerar novas ideias é a Jornada do Usuário, que faz parte do Design Thinking.

De forma simplificada, deve-se elencar todos os pontos de interação do público com a marca (desde a descoberta até depois da compra).

Com esse mapeamento fica mais fácil identificar o que pode ser otimizado para transformar a experiência dos consumidores em todas as fases possíveis.

É imprescindível que haja muita criatividade e inovação para gerar boas soluções.

5º PASSO – Conectar-se culturalmente

5º PASSO – Conectar-se culturalmente

Nem só de conteúdo original vive uma brand love, também há espaço para parcerias.

Uma tática muito eficiente dos últimos tempos são as colaborações com digital influencers. Vídeos com influenciadores fazendo a famosa #publi têm tido sucesso nas redes sociais.

Mas antes mesmo deste termo existir, marcas já associavam-se a artistas para conquistar os fandoms, os fã-clubes.

O que pouca gente se dá conta é que você, como empreendedor, pode muito bem assumir esse papel. Principalmente quando se ainda está começando e não se tem tanto investimento para conquistar novos embaixadores da marca.

Patrocínios em eventos relevantes para seu público, adotar uma causa importante, realizar parcerias com outros empreendedores, anunciar conteúdos de valor e outras formas de aparecer na cultura sempre funcionaram.

Isso porque ao aliar a imagem da empresa ao entretenimento, o público se cativa e se expande.

Em dimensões menores, vale também publicar conteúdo comentando premiações, novos álbuns e clipes. 

3 Exemplos Gigantes de Lovemarks do Brasil 

3 Exemplos Gigantes de Lovemarks do Brasil

Ser uma love brand é agregar valor, se importar com cada lead, se manter atualizado, ser socialmente responsável.

Algumas empresas dão um show de sensibilidade e conquistam pessoas que protegem, defendem e promovem a marca.

Veja alguns exemplos do Brasil e o que podemos aprender com eles.

1º Nubank

A startup brasileira Nubank é um dos melhores exemplos de brandlove, mesmo sendo do segmento financeiro. A fintech chegou à casa dos US$10 bilhões, tornando se o primeiro “decacórnio” nacional.

O que faz dessa marca tão apreciada é a sua comunicação transparente e jovial. Com uma proposta disruptiva, quebra com todos os padrões de rigidez e burocracia dos bancos tradicionais. 

A relação com os clientes nas redes sociais também é digna de prêmio. A equipe de comunicação se dedica a produzir conteúdo original e interagir com os internautas.

Após polêmicas, a empresa criou um plano de ação para o combate ao racismo estrutural, gerenciando a crise de imagem e tomando um posicionamento.

2º Dobra

A Dobra é uma marca que vende soluções como carteiras, tênis, camisetas e outros produtos com um material inovador. O segredo para o sucesso, porém, está no branding da marca.

Com valores e propósitos bem delineados, a identidade visual acertada e a escalabilidade garantida, a Dobra se destaca também pela transparência e pelo conceito “beta eterno”. Isto é, estar em constante atualização.

Com muita irreverência, além da comunicação despojada, a Dobra também surpreende em diversos momentos: 

  • newsletters assinadas pelo CEO, que é um cachorro chamado Batman; 
  • os cartões que vêm com os produtos contêm sementes para serem posteriormente plantadas;
  • post-its escritos à mão dando boas vindas a cada novo cliente.

Entre outras ideias mirabolantes que garantem o sucesso dessa lovemark.

3ª Natura

Com algumas décadas a mais, a marca Natura tem se destacado pela sua adaptabilidade aos meios digitais. Misturar poesias sussurradas em propagandas de sabonetes e cremes já era um esforço louvável, e sua postura sensível se consagrou.

Por ser do ramo de estética, o universo de cosméticos permite abordagens mais subjetivas e poéticas.

De qualquer forma, a Natura soube se atualizar e está em dia com as demandas da atualidade.

Faz questão de ter presença e ser participativa nas redes sociais. E não somente nos tradicionais Instagram, Facebook e Twitter, mas também no Spotify, Pinterest e LinkedIn.

De forma repaginada, a marca se mantém jovem e em contato próximo com seu público.

Por fim, o que faz uma marca ser amada?

Por fim, o que faz uma marca ser amada?

Lovemarks são as marcas mais amadas, que dominam a economia. Se tornar uma exige muitos esforços de equipes criativas.

Existem algumas peculiaridades que são constantes nas empresas que conseguem esse título. 

São alguns conceitos elementares para se conseguir chegar lá, como aponta o “The Love Index”, publicação da FJORD.

Baseado em uma grande pesquisa, o estudo desenha um “sistema radicalmente diferente para desenvolver e mensurar brand love. Pelo trabalho, percebe-se que há 5 dimensões-chave das lovemarks, estas são:

  • Diversão: Segurar a atenção do público através de entretenimento.
  • Relevância: Facilitar o acesso à informação clara e customizada.
  • Engajamento: Identificar com as necessidades das pessoas e se adaptar às suas expectativas.
  • Social: Ajuda as pessoas se conectarem umas às outras.
  • Prestativo: É eficiente, fácil e se adapta através do tempo.

O estudo ressalta que essas dimensões são aplicáveis para qualquer marca, em qualquer indústria.  Esse sistema de avaliação ajuda a “identificar as áreas em que a marca está tendo sucesso e aquelas nas quais está faltando”.

A complexidade desse assunto pode ser difícil de ser digerida. Entretanto, a leveza e sutileza de ser gentil e atencioso são coisas fáceis de processar. A humanização dos processos deve guiar aqueles que desejam ser amados.

Conclusão

Conclusão

Não importa se você está começando agora o seu negócio digital, quantos antes você se importar em humanizar a sua marca, melhor.

Para algumas pessoas isso é natural. Contudo, para muitos empreendedores com vergonha de aparecer, de mostrar os bastidores, de mostrar que é uma pessoa normal…

O medo do novo é totalmente normal. Mas não deixe que isso te impeça de crescer. É esse seu jeito único e diferente do resto que irá fazer com que pessoas reais se conectem com você.

Mostre a história que existe por trás da sua ideia, conte a sua trajetória, exiba um pouco dos bastidores da sua vida. Pode parecer que não, mas isso é um diferencial gigantesco.

Ninguém nasce grande. Então, mãos à obra para começar a se destacar dentro do seu nicho de atuação. Pode até demorar um pouco, mas temos certeza que você chega lá.

 

Diego Carmona :

O nosso blog utiliza cookies para ajudar a melhorar a sua experiência de utilização. Ao utilizar o blog, confirma que aceita a sua utilização.