11 dados das redes sociais que todo anunciante deve saber

Os anúncios pagos estão ganhando cada vez mais espaço, dificultando a vida de quem ainda insiste na produção de conteúdo orgânico. O Twitter anunciou que começou a inserir conteúdo na linha do tempo dos usuários, o Facebook utiliza o algoritmo Edgerank, desenvolvido para determinar o que é exibido no newsfeed, e o YouTube continua exibindo anúncios antes dos clipes que o usuário quer assistir.

O conteúdo orgânico continua a diminuir à medida que os titãs da mídia social tentam expandir a sua receita publicitária. Mas, será que os anunciantes e criativos devem mudar o foco para o lado da publicidade paga? Se conteúdo não é reconhecido, a resposta pode ser um enfático “sim”.

Veja 11 fatos e estatísticas impressionantes sobre o marketing na mídia social:

  1. 1 milhão: o número de PMEs que veiculam anúncios no Facebook
  2. 500 mil: o número total de páginas no Facebook com posts patrocinados
  3. 2,5 milhões: o número total de posts promovidos no Facebook
  4. 59%: porcentagem da renda do Facebook que vem do mobile
  5. 21,7%: o share global do Facebook de receita publicitária mobile em 2014
  6. 45%: porcentagem de anúncios no SuperBowl que incluíram hashtags no Twitter
  7. 81%: porcentagem da receita publicitária do Twitter em mobile
  8. US$ 200 mil: custo de um Promoted Trend de 24h no Twitter
  9. US$ 5,6 bilhões: receita que o YouTube espera gerar em 2016
  10. US$ 850 milhões: quantidade de receita de vídeo publicitários que o YouTube veiculou nos EUA
  11. US$ 100 milhões: quantia estimada que a Samsung destina em publicidade no Facebook anualmente, tornando a empresa a maior anunciante da rede social

Anúncios em redes sociais mais estabelecidas como Facebook, Twitter e YouTube significa obter dados mais avançados, o que demonstra a relevância de promover conteúdo na mídia social.

Por quê o Instagram é a rede social que mais cresce?

As plataformas mais novas como o Instagram permitem às empresas veicular anúncios por meio de imagens. Segundo o Tech Cruch, a popularidade do Instagram se deve ao número limitado de distrações no serviço.

Não tem como prever a reação dos anunciantes se o alcance orgânico no ambiente social continuar a cair. Criar conteúdo atraente leva tempo, mas o esforço recompensa.

Algumas das mais poderosas redes sociais começarão a perder usuários se não houver recompensa para o conteúdo orgânico, a menos que os profissionais aceitem a condição de pagarem para serem vistos. Se isso realmente acontecer, as estatísticas acima tendem a crescer.

Independente do que venha acontecer no futuro, vale lembrar que uma empresa tomou uma atitude bastante corajosa este ano, ao deixar o Facebook por ter o seu alcance diminuído e se recusado a adotar os anúncios pagos. Qualquer que seja a sua decisão, faça o que for melhor para a sua empresa. Abraços.

Fonte: Proxxima

Compartilhe o post:

Tags: , , , , , , ,


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Siga-nos: