Acertos e Erros dos Empreendedores em 2020

O ano de 2020 tem sido realmente desafiador, nos ensinando a lidar com as disrupções.

Por isso, todos nós tivemos que nos adaptar às novas configurações. E para os empreendedores não foi diferente.

Afinal, a disseminação do COVID-19 pelo mundo afetou consideravelmente as atividades econômicas.

Em uma previsão do Fundo Monetário Internacional (2020), a economia global irá se contrair cerca de 3 por cento neste ano. Número de magnitude maior do que a crise financeira de 2008.

Já o Banco Mundial prevê uma contração global de 5.2 por cento. O que representaria a maior recessão mundial desde a Segunda Guerra.

Acertos e Erros dos Empreendedores em 2020
Acertos e Erros dos Empreendedores em 2020

Neste contexto catastrófico, o gerenciamento de crise protagonizou a performance dos negócios sobreviventes…

Mas o que deu certo e o que deu errado? Como as equipes de trabalho se posicionaram em um dos momentos mais delicados da contemporaneidade?

O uso de equipamentos de proteção individual (EPI), como máscaras, óculos e luvas proteção, se tornaram obrigatórios para quem estivesse trabalhando diretamente com o público.

As medidas de distanciamento social nos introduziram à novas expressões. Como home office (trabalho remoto) e conference call (reunião por videoconferência).

A educação à distância (EAD) se firmou como a única viável durante a quarentena… e os planos de viagens tiveram que ser todos suspensos.

Empreendedores de todos os setores foram afetados, seja pela escassez ou pela abundância.

As empresas de delivery, por exemplo, nunca estiveram tão ativas.

Ao mesmo tempo, áreas como o Turismo e o Entretenimento estão tendo dificuldades de continuar funcionando.

Considerando o contexto geral das diferentes áreas de atuação, neste texto você vai conferir alguns acertos e erros dos empreendedores em 2020: O ano que demarca um “antes” e “depois” do coronavírus.

ACERTOS E ERROS

Acertos

Acertos e erros: Acertos
Acertos

1º – Resiliência

A capacidade de enfrentar situações adversas sempre foi um tema frequentemente abordado por especialistas de saúde mental. 

Já a resiliência econômica é a forma como a sua empresa se adapta às novas realidades dispostas no cenário através do tempo. 

Com as restrições implicadas pela pandemia, os negócios foram desafiados a oferecer novas soluções para as condições impostas. E assim, tentar sobreviver.

É fato que nem todos conseguiram contornar as problemáticas. Como companhias aéreas especializadas em vôos internacionais e empresas que vendem pacotes de turismo.

Ao mesmo tempo, startups de tecnologia tiveram que aumentar sua capacidade de trabalho para poder atender às novas demandas. Desenvolvendo aplicativos especializados, e-commerce, sites responsivos, e garantindo a estabilidade da conexão à internet em todas as regiões.

Em outras proporções, microempreendedores do setor alimentício também tiveram que se expandir. Sobretudo para conseguir entregar todos os pedidos — que aumentaram consideravelmente. 

Em contrapartida, setores como o automobilístico, varejo e festivais culturais podem ter sofrido maior impacto no segundo trimestre. Por ser necessário aderirem às ajudas governamentais.

Para tal, empréstimos com diferentes condições de negociação e outros tipos de auxílios para manutenção dos postos de trabalho ajudaram a manter a roda da economia girando.

2º –  Digitalização

Existir no universo digital é imprescindível. Em um ano em que o isolamento social se tornou mandatório, ficou ainda mais evidente a necessidade de se ter uma identidade virtual sólida e funcional.

Restaurantes que ainda não utilizavam de aplicativos de delivery de comida…

Consultórios e escolas que tiveram que virtualizar seus serviços… 

Foram diversas oportunidades de crescimento para o setor de tecnologia e inovação.

Transformando os processos empresariais através de automatização. Seja por software ou por hardware, tem sido possível assegurar a continuidade de alguns empreendimentos.

Outro aspecto relevante é a requalificação dos profissionais para as novas realidades. Tem sido necessário, cada vez mais, capacitar as equipes de trabalho para as dinâmicas e estruturas digitais. 

Como já é consagrado entre as instituições científicas, a forma como nos relacionamos com o meio ambiente de forma abusiva irá resultar em outras pandemias nos próximos anos.

É prudente dizer que esta não será a única quarentena dessa geração. E, portanto, todos devemos estar equipados para futuros confinamentos.

3º- Solidariedade

Em tempos de privações e desprovimentos, é natural que haja um movimento coletivo para mitigar os efeitos negativos do contexto desfavorável. Ainda que existam obrigações legais de responsabilidade social, durante a pandemia houveram esforços maiores para auxiliar as comunidades no momento de crise.

Seja através de doações de cestas básicas, máscaras e álcool em gel. Ou através da distribuição de smartphones e notebooks. Ou até mesmo acesso a cursos gratuitos ou à versões profissionais de softwares pagos.

Em diversas dimensões, com cada um contribuindo como pode, tem sido possível assegurar o mínimo de qualidade para as vidas afetadas pelo coronavírus.

Atitudes nobres como essas devem ser reforçadas e estimuladas. A tendência econômica mundial de primar pelo impacto positivo tem se consolidado consistentemente neste período.

É evidente que ajudar uns aos outros é conveniente. Tanto pelo trabalho coletivo quanto para construir uma imagem positiva das marcas.

Seria ingenuidade achar que toda a ajuda prestada visava apenas o bem-estar da sociedade. Mas, mesmo assim, tais comportamentos não deixam de ser um grande acerto em tempos de incerteza.

ERROS

Acertos e erros: Erros
Erros

1º Negacionismo

Entre os vexames de 2020, o negacionismo foi um dos mais polêmicos. Posturas anti-científicas de empresas através de suas lideranças e assessorias de imprensa, desrespeitaram as situações tristes de enfermidade e luto.

Seja descumprindo as recomendações de isolamento social ou se pronunciando publicamente contra medidas de proteção… O “filme” de certas instituições foi “queimado”.

Ainda que tudo possa ser contornado por uma boa gestão de crise de imagem, fica o aprendizado desta experiência traumática.

Erros como este poderiam ser evitados com medidas simples de precaução:

  • Prezar pela transparência na comunicação interna e responsabilidade na comunicação externa.
  • Consultar especialistas e respeitar suas opiniões profissionais.
  • Seguir as diretrizes indicadas por órgãos oficiais internacionais.

2º Não ter fundos emergenciais

Ser pego de surpresa por uma situação adversa geralmente nos ensina a necessidade de se ter um fundo emergencial. Em uma crise mundial desencadeada por uma pandemia, este princípio econômico ficou ainda mais escancarado.

Guardar parte da receita para situações de emergência é uma indicação dos economistas há muito tempo. Seja de micro, médio ou grande porte, um capital de reserva para eventuais gastos não-planejados é decisivo para a sobrevivência em determinados momentos.

Infelizmente nem todos adotavam essa prática, e tiveram que buscar ajuda para continuar com as portas abertas. Além das dívidas, ficou a lição para que no futuro haja uma preocupação maior de guardar parte da receita.

Seja aplicando em tesouro direto ou em poupanças simples, é prudente reservar dinheiro em diferentes espaços. Comprometendo uma pequena porcentagem do seus rendimentos, poupar pode ser a sua única esperança caso tudo dê errado.

3º  Trabalhar sozinho

Não dá pra ignorar quem está ao nosso lado, principalmente em tempos de adversidades. As parcerias nos fortalecem e possibilitam uma sobrevida em momentos de caos.

Um grande exemplo disso é junção de gigantes da Tecnologia trabalhando junto com setores da Agronomia, Saúde e Educação. Otimizando processos na produção e distribuição de alimentos; organização de leitos e profissionais em hospitais; conectando alunos e professores em salas virtuais.

Outro exemplo plausível é a parceria dos veículos de comunicação, até então “rivais”. Tudo para garantir a transparência dos dados sobre o COVID-19 no Brasil.

Ainda que representativo, este movimento demonstra que a competitividade, ainda que “saudável”, é um conceito retrógrado para as novas lógicas do mercado.

EMPREENDENDO EM TEMPOS DE CRISE

Acertos e erros: EMPREENDENDO EM TEMPOS DE CRISE
EMPREENDENDO EM TEMPOS DE CRISE

Enfim, empreender envolve riscos. E é preciso trabalhar nossa tolerância perante eles.

O ano de 2020 apresentou para muitos empreendedores o desafio de lidar com as disrupções inevitáveis.

Ao mesmo tempo, novas soluções tiveram de ser arquitetadas. Para driblar as dificuldades que se dispuseram ao longo do ano.

Nesse cenário, a inovação se consolidou como principal aspecto para a sobrevivência dos negócios.

O enfrentamento do coronavírus tem sido um esforço coletivo, exaustivo e moroso.

Por isso, é provável que este ano irá definir um período anterior e posterior à pandemia. Dado as mudanças drásticas que a sociedade teve de se adaptar.

Apesar de tudo, ainda há esperanças. Com os números de contaminação e morte abaixando e a economia voltando a se aquecer, a expectativa é que 2021 seja um terreno fértil para muitas iniciativas.

Este período nos permitiu refletir sobre nosso lugar no mundo. E mais do que isso: O valor das relações pessoais.

Além, é claro, de pensar sobre as responsabilidades que temos enquanto potências econômicas perante uma sociedade tão desigual. 

Acertos e erros: A união é a chave para os próximos anos e desafios
A união é a chave para os próximos anos e desafios

Para prosperar é preciso continuar ajudando, continuar cooperando, continuar acreditando.

Um ecossistema saudável trabalha em conjunto para o bem comum de todos. E este é o rumo para qual estamos caminhando.

A saúde pública, o meio ambiente e a biodiversidade foram três temas bem latentes nas discussões deste ano. E devem continuar sendo fomentadas.

Em busca de um desenvolvimento sustentável, de impacto positivo, as organizações devem firmar um compromisso com o planeta e a humanidade.

Empreender é muito mais do que abrir uma empresa, é buscar novas maneiras de melhorar a realidade. De si mesmo e do próximo.

E você, teve alguns acertos e erros que gostaria de compartilhar com a gente? Deixa nos comentários. Nós vamos adorar saber.

Até porque entre acertar e errar, o importante é aprender e mudar.

 

Compartilhe o post:

Tags: , , , , ,


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Siga-nos: