O que é CVO? Entenda a sigla que tem o poder de mudar a realidade do seu negócio

Se você conhece o leadlovers deve ter percebido que nós temos um CVO aqui: O Diego Carmona. Ao ouvir isso, muita gente acaba com uma dúvida em mente: ‘Mas, afinal, o que é CVO?

Há até quem pense que ‘CVO’ é um erro de digitação e várias vezes nos eventos escreveram ‘CEO’ ao nomear o crachá do Diego. Por essa razão, vimos a necessidade de explicar esse assunto por aqui.

É bem compreensível essa dúvida, siglas iniciadas pela letra ‘C’ são utilizadas amplamente no exterior para designar cargos dentro de uma organização, mas aqui no Brasil isso ainda é novidade. Quer entender mais sobre o assunto? Então, vem com a gente que contaremos tudo.

É CEO ou CVO?

Provavelmente você ouviu ou leu várias vezes o termo ‘CEO’ por aí. De fato, é o mais comum. Caso você não saiba, CEO é a sigla para Chief Executive Officer que em português seria o ‘Diretor Executivo’ também chamado de ‘Diretor Geral’ por alguns.

De uns anos pra cá, as empresas passaram a adotar essa posição no Brasil. Na verdade, o CEO é o maior responsável pelo negócio, é ele que dá a palavra final nas decisões dentro da empresa. É claro que sempre ouvindo a equipe, nas grandes organizações há um ‘Conselho de Administração’  justamente por isso.

É CEO ou CVO?
É CEO ou CVO?

Assim como CEO, há muitas outras siglas para designar os cargos mais altos de uma empresa, os mais comuns são além do CEO são: CTO (Chief Technology Officer), CFO (Chief Financial Officer), CMO (Chief Marketing Officer) ou COO (Chief Operation Officer).

CVO é a sigla para Chief Visionary Officer. Se as siglas iniciadas por ‘C’ representam o responsável por determinada área de atuação dentro da empresa, fica simples entender que CVO  seria o cargo máximo que fala sobre o futuro da empresa.  

No leadlovers essa pessoa é o Diego Carmona, que anos atrás escolheu essa dominação ao perceber que não se identificava com os cargos mais ‘comuns’:

Aliás no leadlovers também temos um COO, o Fabio Verschoor. Interessante, não?

CVO: A escolha do Diego

Em entrevistas o Diego sempre responde essa questão e a resposta é bem simples:

“A escolha pelo CVO surgiu porque dentro da distribuição dos cargos das staturps, eu percebi que não me encaixava em nenhuma das denominações mais comuns, como CEO ou CTO. Notei que desde sempre estive atuando muito mais na visão do negócio em si, daí o motivo da escolha por CVO, isto é, ‘Chief Visionaire Officer’”.

CVO: A escolha do Diego
CVO: A escolha do Diego

Ou seja, o CVO é aquele que representa a visão da empresa, o profissional que irá buscar sempre novas e melhores maneiras de conseguir os objetivos do seu negócio e, principalmente, atender às pessoas.

É claro que o CVO possui funções executivas, contudo, também precisa estar atento ao futuro e às possibilidades. Em resumo, o CVO é um ‘visionário’, alguém que age pensando continuamente no que é necessário não só dentro da empresa como em todo o universo em que está inserido. Ou até mesmo inventar um universo novo, por que não? Haha

Apesar de CVO ainda não ser um cargo comum, na prática é como diz o Diego: “Se pararmos para pensar todas as grandes empresas possuem líderes visionários.” E para cumprir essa função com maestria é necessário muito estudo e dedicação, pois o cargo exige diversas habilidades e conhecimentos em diferentes temas:

Percebi que não era só executivo, eu ajudava ativamente o Marketing com ideias, pensava em novos negócios e também estava em contato com o cliente.” 

CVO: A origem do cargo

Se você pesquisar a origem de CVO irá encontrará dois nomes: Einar Stefferud e Tim Roberts. O primeiro por ser CVO e co-fundador da First Virtual Holdings no início dos anos 90. O outro CVO e fundador da Broadband Investment Group.

CVO: A origem do cargo
CVO: A origem do cargo

Tim Roberts, com certeza, é o mais conhecido e já disse em outras oportunidades que criou esse título ao criar um ranking para identificar as habilidades necessárias “para integrar um negócio complexo”.

Na época, ele utilizou a sigla para denominar seu cargo, mas não tinha nenhuma intenção de que o termo saísse da sua empresa, mas foi exatamente isso que aconteceu.

Segundo palavras do próprio Tim Roberts anos atrás: “A banda larga é algo complexo e extenso, que compreende 10 divisões separadas. Tenho a visão para integrá-las“. 

Por que ser o CVO do seu negócio?

Por que ser o CVO do seu negócio?
Por que ser o CVO do seu negócio?

Após ler o que falamos até aqui você provavelmente percebeu que empreendedores, de verdade, são sempre visionários. Ou pelo menos deveriam ser. Afinal, no próprio dicionário ‘empreender’ significa: “Colocar em desenvolvimento e/ou execução; realizar”.

Como realizar algo se você nem enxergou aquilo? Essa realização depende da visão. De fato, as grandes empresas que conhecemos só conseguiram chegar até onde estão porque tiveram uma ideia e a realizam.

Sem contar que quando a empresa possui visão, a equipe trabalha sabendo que possui um objetivo maior. O CVO é justamente a pessoa que representa isso dentro da organização, que aponta a direção para que a empresa avance.

Diego, CVO e a ideia do livro Visionários

Foi para desenvolver a visão dos empreendedores que o Diego decidiu escrever o livro ‘Visionários’, o objetivo é fazer com que eles ajam menos como técnicos e mais como visionários. É a partir daí que nasce a inovação e, portanto, qualquer possibilidade de sucesso.

Diego Carmona, CVO do leadlovers, no dia do lançamento do seu livro Visionários
Diego Carmona, CVO do leadlovers, no dia do lançamento do seu livro Visionários

E não há ninguém melhor para falar sobre isso do que o Diego, né? “Até entender que a visão é o bem mais importante para o dono de um negócio foram muitos anos errando, aprendendo e testando.” – Conta o CVO do leadlovers.

A missão do Diego com o livro é fazer com que outros empreendedores não levem alguns anos para perceber e desenvolver isso. Em um trecho logo no início do livro, ele deixa isso muito claro:

Você ainda não entende, mas este é seu grande erro: você não age como um visionário, você está agindo como um técnico. Sim, é valioso pôr a mão na massa, mas talvez isso seja tudo o que você faz. E agir como um técnico não fará com que sua empresa saia do lugar. É hora de desenvolver seu lado visionário – e é isso que faremos juntos ao longo deste livro.”

Trecho do livro 'Visionários'
Trecho do livro ‘Visionários’

Podemos dizer que o Diego Carmona foi um visionário até ao lançar esse livro, pois desenvolveu um conteúdo diferente dos outros, que mostra todo o caminho que o leitor pode percorrer para se tornar um visionário e – por que não? – o CVO da sua própria empresa.

Sim. Isso mesmo. A partir do livro, Diego quebra paradigmas ao dizer que qualquer pessoa pode desenvolver um olhar visionário e que ninguém precisa ser um gênio para ter sucesso no seu negócio. E mais do que isso ele realmente mostra como isso pode ser feito.

E aí, entendeu agora por que toda empresa deveria ter um CVO? Se você se interessou pelo assunto, fique sabendo que o livro ‘Visionários’ já está disponível nas livrarias de todo o Brasil e também pode ser adquirido aqui.

Comece hoje mesmo a transformar a sua realidade. Como sempre: Não existe nada melhor para isso do que um bom livro.

Compartilhe o post:

Tags: , , , , ,

Saiba Como Automatizar Suas Vendas!

Aprenda a automatizar suas vendas e foque no que realmente importa.


Quero ficar atualizado sobre as melhores práticas e dicas do blog Automação de Vendas para melhorar o e-mail marketing. Se você não curtiu, basta cancelar. Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Siga-nos: