07 dicas para melhorar o SEO do seu e-commerce

Apesar de os anúncios na internet trazerem um retorno mais imediato, essa estratégia de marketing digital não deve ser a única considerada na hora de atrair visitantes para seu site, você vai entender como fazer SEO para ecommerce.

Isso porque o SEO (sigla para a expressão em inglês Search Engine Optimization, ou “otimização para mecanismos de busca” em tradução literal) pode trazer ótimos resultados para seu e-commerce!

A busca orgânica, ou seja, aqueles resultados que não são de anúncios nos buscadores, é capaz de gerar visitas de um público com mais interesse pelos seus produtos. Dessa forma, suas chances de vender mais aumentam!

Os resultados costumam demorar um pouco para aparecer, mas, a médio e longo prazo, investir em SEO para vender pela internet pode ser até mais barato do que ficar pagando por campanhas online.

Combinadas, então, essas estratégias são capazes de bombar seu negócio!

Se você não sabe muito bem como fazer para adequar seu site aos critérios que buscadores como o Google usam para classificar os resultados, não precisa se preocupar!

Neste post, vamos trazer algumas dicas para melhorar o SEO da sua loja virtual.

Você vai ver como prestar atenção ema alguns detalhes, como a descrição de produtos, já pode fazer uma grande diferença! Vamos lá?

1.Faça um planejamento de palavras-chave

Na hora de escrever o nome e descrição de produtos, você deve se preocupar com as palavras-chave que vai usar.

Esses termos devem estar alinhados com o que seus usuários costumam pesquisar na internet. Entretanto, para escolher quais serão as palavras, você vai precisar fazer uma pesquisa.

Isso porque, se você for apenas pela intuição, provavelmente vai acabar usando palavras-chave mais genéricas e esses termos costumam ter muita concorrência.

Assim, quando um usuário pesquisasse por um desses termos, os grandes sites de varejistas provavelmente seriam os primeiros colocados, devido à grande autoridade que têm na internet.

Entretanto, se você planejar suas palavras-chave, pode encontrar termos mais específicos e menos concorridos que se adequem aos produtos da sua loja.

Por exemplo, ao invés de “tênis masculino”, você pode usar “tênis masculino estampado para corrida”.

Para saber como escolher essas palavras-chave, existem algumas ferramentas online que podem te ajudar.

Uma delas é o Planejador de Palavras-Chave do próprio Google. Com ele, você pode pesquisar para ver o volume de pesquisas e a concorrência para cada um dos termos.

Além disso, ele te dá ideias sobre palavras-chave parecidas com as que você buscou.

 

Existem outras ferramentas que te ajudam a planejar suas palavras-chave, com funcionalidades parecidas com as do Google, além da indicação da dificuldade de ficar bem ranqueado para cada termo pesquisado.

O SEMRush tem uma versão de teste gratuita, mas é pago, assim como o Ahrefs. Já o Ubersuggest pode ser usado totalmente grátis.

Você pode testar e decidir qual é o mais adequado para seu trabalho.

Nesses sites, além de fazer a busca pelas próprias palavras-chave, você pode pesquisar a partir do domínio dos seus concorrentes.

Assim, você descobre para quais termos eles estão ficando melhor classificados e pode fazer uma análise da concorrência também em relação a isso.

2.Seja original e escreva para pessoas

Agora que você já planejou suas palavras-chave, é hora de utilizá-las. Você deve escrever a descrição de produtos do seu e-commerce em que constem esses termos que você escolheu.

Mas não pense que basta escrever de forma engessada apenas para incluir as palavras-chave. Você precisa ser original e escrever a descrição de produtos de forma a realmente auxiliar seus clientes!

Você não apenas vai ajudar os visitantes do seu site a conhecer melhor suas mercadorias, mas também vai melhorar sua loja virtual para que os robôs do Google entendam sobre o que aquele endereço na web fala e possam classificá-lo na hora que um usuário fizer uma busca.

Em 2015, o Google lançou uma atualização na forma como seus bots avaliam os sites quando vão ranqueá-los.

A RankBrain, como ficou conhecida, é uma forma de inteligência artificial que consegue identificar quais conteúdos atraem mais visitas e maior interesse do público, a partir do tempo que as pessoas permanecem naquele site.

Portanto, se seu site for atraente para as pessoas, o Google identificará o valor da página na hora de classificá-la em uma pesquisa.

Além disso, outra forma de fazer com que seu site se destaque é escrever a descrição de produtos com suas palavras.

Ao não copiar as descrições dos fornecedores, você consegue incluir as palavras-chave que planejou e evita que suas descrições sejam as mesmas que a de outros sites que vendam os mesmos produtos.

Dessa forma, os robôs do Google também vão identificar que suas páginas não são apenas mais do mesmo!

3.Tenha URLs amigáveis

Outro fator que pode ajudar na sua classificação é ter URLs amigáveis no seu site. Isso significa que o endereço de cada página deve conter palavras identificáveis tanto pelo visitante quanto pelos bots do Google. Você deve, inclusive, utilizar as palavras-chave na URL quando isso for possível.

Isso é uma questão de deixar o público mais tranquilo ao clicar em seus links. Afinal, pense em quando você navega na internet.

Em qual link você se sentiria mais confortável para clicar?

  1. www.ecommerce.com.br/vYbshY3k
  2. www.ecommerce.com.br/masculino/tenis/corrida-estampado

Se você respondeu no segundo, é como a maioria das pessoas.

Quando você consegue identificar sobre o que aquela página fala, acaba se sentindo mais seguro para entrar nela. Portanto, personalize as URLs da sua loja virtual.

Se você ainda não sabe muito bem como fazer, trazemos uma sugestão para cada tipo de página:

  • Categoria de produto: www.seudominio.com.br/nome-da-categoria
  • Produto: www.seudominio.com.br/nome-da-categoria/nome-do-produto

4.Otimize a navegação

Conforme o funcionamento do RankBrain para a classificação dos resultados de buscas do Google que vimos anteriormente, ter pessoas com interesse no seu site vai sinalizar para os robôs que ele traz resultados relevantes para os usuários.

Dessa forma, facilitar a navegação é uma boa ideia!

Uma maneira de fazer isso é deixar todas as páginas de produtos acessíveis a apenas três cliques a partir da home da sua loja virtual.

Assim, você simplifica a usabilidade do seu site e melhora a experiência do público no seu e-commerce!

Além disso, procure deixar um visual agradável e páginas não muito poluídas. Na home, carregue no máximo 15 produtos.

Isso vai melhorar a aparência e evita que o tempo de carregamento da página seja muito demorado — o que também é um fator considerado pelos bots do Google.

Você pode utilizar SEO para otimizar seu site mobile.

5.Otimize seu site para mobile

Ao criar uma loja virtual, você precisa se certificar de que seu site está otimizado para a navegação por meio de smartphones. Isso vai te ajudar tanto em relação aos robôs do Google quanto nas conversões do seu e-commerce.

Também em 2015, o Google lançou outra atualização na forma como avalia as páginas que ficou conhecida como Mobilegeddon.

A partir daí, ter um site responsivo para mobile passou a se tornar um critério importantíssimo, entre os milhares existentes, para que uma página ficasse bem classificada nos resultados de buscas.

Além disso, de acordo com a pesquisa Webshoppers 40, do eBit/Nielsen, no primeiro semestre de 2019, 43% das compras online foram feitas por meio do celular.

Portanto, se você não tiver um site que se adapte bem ao mobile, pode acabar perdendo algumas vendas.

Ao escolher uma plataforma de comércio virtual, procure saber como os layouts se comportam em smartphones.

Para isso, pesquise, converse com lojistas que usem diferentes plataformas e teste a navegação em lojas virtuais que usem vários desses serviços pelo seu celular!

6.Cadastre-se no Google Search Console

O Google Search Console é uma ferramenta da gigante da internet para ajudar os sites a se enquadrarem nos critérios utilizados para ranquear os resultados orgânicos.

Ao cadastrar sua loja virtual no Search Console, você terá um diagnóstico de pontos a melhorar no sistema do seu site.

Pode ser que alguns deles você não consiga resolver sem a ajuda de um desenvolvedor, mas o primeiro passo para resolver seus problemas é identificá-los.

Nesse sentido, o Google Search Console é um ótimo aliado!

7.Se tiver loja física, cadastre-a no Google Meu Negócio

Caso você também tenha uma loja física, outra forma de melhorar sua classificação nos resultados orgânicos é cadastrá-la no Google Meu Negócio.

Quando esse cadastro é feito, seu estabelecimento vai aparecer no quadrinho à direita da página de resultados do Google.

O Meu Negócio é gratuito e, além de ajudar a marcar sua presença online, pode ajudar seus clientes com informações de horário de funcionamento e localização do seu estabelecimento!

O investimento em SEO não costuma trazer resultados da noite para o dia.

Entretanto, se você trabalhar os requisitos aqui listados em seu e-commerce, pode começar a ver o número de visitas à sua loja virtual aumentar!

Além disso, para algumas das dicas, como a parte de descrição de produtos, o trabalho não é tão grande assim.

Se você organizar sua loja virtual pensando em proporcionar uma boa experiência aos seus clientes, a chance de cumprir alguns dos requisitos para um bom SEO já é grande!

E, então, está pronto para otimizar seu e-commerce para as buscas orgânicas?

Autor (a): Victoria Salemi - Editora responsável pelas parcerias de conteúdo da Nuvemshop, a maior plataforma de comércio digital da América Latina, com mais de 30 mil lojas ativas. Formada em Jornalismo, ama escrever e tornar assuntos complicados acessíveis a todos!

 

Powered by Rock Convert

Compartilhe o post:

Tags: , ,

Powered by Rock Convert

0 Comentários

Deixe o seu comentário!


Descubra o que é o leadlovers


Quero ficar atualizado sobre as melhores práticas e dicas do blog Automação de Vendas para melhorar o e-mail marketing. Se você não curtiu, basta cancelar. Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

Siga-nos: