Storytelling com Dados: Como Transformar Números em uma História Envolvente

É possível contar uma história incrível usando números? Se essa é a sua dúvida, vamos comprovar que é possível, sim. Tudo graças ao storytelling com dados.

Sim, é exatamente isso que você leu… Existe um termo específico criado para ensinar a façanha de transformar números em uma história envolvente.

Imagine a seguinte situação:

Você está em uma apresentação para o seu público, explicando um assunto denso que envolve vários dados. 

Por mais que a pauta seja de interesse, quais são as chances dessa apresentação realmente prender a atenção do público?

Ou melhor ainda: Quais as chances dessa apresentação realmente gerar conexão com as pessoas?

Pois é…

Agora imagine essa mesma apresentação, mas com um roteiro envolvente onde os números contam a história.  Eles são mais do que números, são pessoas, são experiências, são transformações… 

É exatamente essa mudança de apresentação que o “Storytelling com Dados” ou “Data Storytelling” busca apresentar.

Então, se os números são importantes dentro do seu negócio, provavelmente esse é o melhor formato de conteúdo para você.

Quer aprender mais sobre o assunto? Então, vem com a gente que você está no lugar certo. Hoje você irá descobrir:

  • O que é Storytelling com Dados?
  • Qual a Importância em Utilizar Números no seu Conteúdo?
  • Por que contar uma História com Dados?
  • Como Criar uma História com Dados?
  • Quais são os Formatos que poso Utilizar Storytelling com Dados?
  • Onde Conseguir os Dados? Passo a Passo Simples
  • Alguns Cases de Sucesso de Storytelling com Dados

O que é Storytelling com Dados?

O que é Storytelling com Dados?
O que é Storytelling com Dados?

Como nós demos um spoiler acima, ficou fácil de entender qual é o objetivo da storytelling com dados, né? Que é simplesmente deixar os números mais atrativos, contando uma história.

Ainda não ficou claro o que é essa técnica? E principalmente, onde você vai aplicá-la?

Antes de tudo, você precisa entender o que é storytelling. Se tem dúvidas, recomendo que leia o nosso artigo “Storytelling: Aprenda a Vender Contando Histórias” .

Depois, é preciso ter em mente que o “storytelling com dados” ou “data storytelling” é voltado para narração. E isso é diferente da visualização dos dados.

Em outras palavras…

Quando falamos em visualização, estamos falando de tabelas, gráficos e outros recursos visuais para deixar mais fácil de compreender determinados números.

Quando falamos de storytelling com dados, estamos falando de criar realmente histórias com esses números. Nessas histórias você vai apresentar as mudanças que ocorreram dentro de determinado período. E assim, criar um conteúdo com:

  • Narrativa
  • Contexto
  • Personagens

Até porque esses são fatores essenciais para contar uma boa história… Seja ela com ou sem dados.

Qual a Importância em Utilizar Números no seu Conteúdo?

 

Storytelling com Dados: Qual a Importância em Utilizar Números no seu Conteúdo?
Qual a Importância em Utilizar Números no seu Conteúdo?

Existem alguns motivos que levam as empresas a utilizarem os números em seus conteúdos.

Aliás, se você reparar, a grande maioria das matérias de jornais trazem números.

O motivo principal é simples… Os números dão credibilidade para o conteúdo. Além de comprovar (com dados) algo que a matéria está procurando apresentar.

Esse mesmo pensamento dos jornais pode (e deve) ser aproveitado para qualquer tipo de conteúdo. Inclusive, os conteúdos de divulgação de um produto digital ou físico.

Os números também podem contribuir para:

  • Credibilidade: Por meio dos deles você mostra que não é apenas você que está dizendo alguma coisa, isto é, outras pessoas também estão comprovando o mesmo fato;
  • Quebra de objeções: Quando você apresenta números é mais fácil quebrar futuras objeções do público. Afinal, não é você quem está dizendo, são as pesquisas que comprovaram o fato;
  • Aumenta o desejo de compra: Se o potencial cliente entender que muitas outras pessoas já utilizaram a mesma solução, terão mais vontade de utilizar;
  • Associa seu nome a outras organizações de renome: Nesse caso, estamos falando principalmente do uso de dados coletados em pesquisas realizadas por órgãos de credibilidade, como o IBGE por exemplo. Aqui você une a força de uma entidade já respeitada, com seu nome.  

Por que Contar uma História com Dados?

Storytelling com Dados: Por que Contar uma História com Dados?
Por que Contar uma História com Dados?

Acabamos de explicar sobre a importância de utilizar números na sua estratégia de conteúdo.

Contudo, ao invés e apenas citar esses números, chegou o momento de entender por que você deve ir além…

Que tal não apenas apresentá-los e sim incluí-los em sua história?  É aí que entra o storytelling com dados em si. 

A seguir, você verá algumas vantagens em utilizar esse recurso nos seus conteúdos:

1 – Melhora a Compreensão

Quando você utiliza o storytelling com dados, a compreensão de determinados assuntos fica muito mais simples.

Lembra do exemplo da apresentação logo no começo do artigo? É sobre isso que estamos falando.

É mais fácil entender dados quando existe uma narrativa, um cenário, um personagem envolvido.

E qual empresa não quer que o seu público compreenda o que quer passar?

2 –  Fica na Memória

Além da compreensão, é muito mais fácil alguém lembrar de uma história legal do que simplesmente recordar de dados apresentados de maneira avulsa, certo?

Portanto, se você quer ficar na memória do seu público como alguém que apresentou informações relevantes aliadas a uma história, fique sabendo disso.

3 – Gera mais Engajamento

O que você vai compartilhar: uma história, que apresenta os números de uma forma atrativa, ou um relatório cheio de números?

O mesmo acontece com um conteúdo na internet. Se você ainda está duvidando, no final do artigo, vamos apresentar alguns cases de sucesso que utilizaram esse recurso da storytelling com dados.

4 – Fortalece a Credibilidade

Como falamos anteriormente, os números geram credibilidade. O uso deles atestam que o que você está falando é real. 

Obviamente que aqui estamos falando de números reais e não de invenções. Afinal, credibilidade precisa ser merecida.

Ao utilizar números verdadeiros em sua narrativa, você conquista a confiança do público. Ainda mais no momento que vivemos, onde as  as “fake news” estão por toda a parte.

5 – Mais Persuasão

Outro ponto interessante é que os dados fazem com que o conteúdo se torne mais persuasivo para o leitor.

Mais do que entender melhor o conteúdo, ele pode despertar desejos no seu público.

Vamos supor que você utilize dados de uma pesquisa de satisfação que fez com os seus clientes, por exemplo…

Ao ver outras pessoas que tinham dores parecidas com o que ele vive e que resolveram ao adquirir o seu produto, ele certamente pensará: “Por que eu não deveria tentar também?”

6 – Gera Relevância

Quando você apresenta uma história com números gera um conteúdo relevante na internet.

Já que geralmente os números mostram que houve um trabalho, uma pesquisa maior por trás…

Isso, por sua vez, te diferencia dos demais, evidenciando que você não é só mais um post na multidão.

Principalmente quando você usa dados coletados com a sua audiência.

Além da relevância, você ainda conquista a tão sonhada “prova social”. Um dos gatilhos mentais mais poderosos para vendas.

Como Criar Histórias com Dados?

Storytelling com Dados: Como Criar Histórias com Dados?
Como Criar Histórias com Dados?

Mas como posso colocar todas essas informações no papel?

Qual é a melhor forma de organizar todo esse material. Enfim, como transformar os dados em histórias?

E o mais importante: Como realmente aplicar o storytelling com dados na minha estratégia de conteúdo?

Essas são algumas das perguntas que responderemos a seguir:

A – Seja Claro 

Números e dados normalmente são informações mais complexas para compreensão.  Por isso, quando escolher utilizá-los na estratégia da storytelling com dados, sempre busque ser objetivo e claro.

Lembre-se: O objetivo é deixar esses números mais fáceis de compreender. Nesse sentido, não é hora de dar voltas no assunto.

Ser claro sempre vai ajudar. Aliás, para chegar no tom ideal do seu conteúdo, sempre pesquise e estude a fundo seu público-alvo.

B – Destaque as Informações Principais

Qual é a principal informação da sua história?

O que você quer destacar dentro do conteúdo do storytelling com dados?

São exatamente essas informações que precisam estar em destaque no seu material.

Não adianta apenas montar uma apresentação ou um conteúdo bonito, ele também precisa ser útil para o público e, principalmente, atingir seu objetivo de criação.

C – Combine Elementos Diferentes

Não é porque você está dando destaque aos números que as palavras devem ser esquecidas.

Aliás, sem palavras é praticamente impossível contar uma boa história.

E não pare por aí…Você também pode utilizar outros recursos, como imagens, música e vídeo.

Todos esses elementos potencializam as chances de uma história ser bem contada. O que aumenta as chances de se tornar mais atrativa para seu público.

D – Crie Conteúdos Compartilháveis

Os números, por si só, chamam a atenção naturalmente. Mas será mesmo que estão atrativos a ponto de serem compartilhados?

Mais adiante no artigo, vamos apresentar um case de storytelling com dados que foi extremamente compartilhado.

O que podemos adiantar por enquanto é: Todo o conteúdo foi pensado com esse objetivo. E foi apresentado de uma forma que atraiu as pessoas.

Desde o formato em que ele foi construído até a informação que ele passava, tudo direcionava para um compartilhamento.

Isso só acontece quando você une dois elementos: compartilha conteúdos interessantes e de valor + conhece seu público (e qual é a melhor forma de atingi-lo).

Quais são os Formatos que posso utilizar a Storytelling com Dados?

Quais são os Formatos que posso utilizar a Storytelling com Dados?
Quais são os Formatos que posso utilizar a Storytelling com Dados?

Após entender a relevância e como utilizar a storytelling com dados, pode ser que reste a seguinte dúvida: Onde posso realmente aplicar isso?

Na verdade, há várias formas de aplicar essa técnica no seu conteúdo. Porém, hoje vamos apresentar os formatos que acreditamos ser os mais usados no dia a dia.

Contudo, não se limite as nossas sugestões… O que manda sempre é a criatividade.

1 – Posts em Redes Sociais

Os posts nas redes sociais são um dos formatos que mais trazem resultados com essa técnica.

Aqui você precisa aliar pelo menos 3 elementos: 

  • Os dados;
  • O texto;
  • As imagens.

Dessa maneira, você irá contar uma história breve, porém, com muito conteúdo e com fortes chances de compartilhamento.

Um ponto de atenção, nesse caso, é sempre lembrar que você deve apresentar dados que são relevantes para seu público, e não apenas para você.

2 – E-mail Marketing

O storytelling com dados pode ser utilizado em e-mail marketing tanto para uma lista de leads aquecida como para quem ainda está no Topo do Funil de Vendas.

Tudo vai depender do assunto que você vai abordar nesse e-mail marketing, utilizando o storytelling com dados.

Como por exemplo, se você quer apresentar em números os resultados que seu infoproduto traz, esse pode ser um conteúdo interessante para pessoas que estão conhecendo seu trabalho.

Agora, se o assunto é mais complexo, é melhor enviar para as pessoas que já seguem seu trabalho, ou já são seus alunos.

3 – Roteiros de Vídeos

Sim! Por que não utilizar o storytelling com dados no roteiro do seu vídeo? Afinal, dados chamam a atenção!

O grande cuidado neste caso, é sempre utilizar junto com o vídeo, elementos gráficos, para ilustrar seus números. Assim, os espectadores vão acompanhar a mensagem que pretender ser passada de forma mais rápida.

Aliás, essa é uma grande preocupação quando o assunto são vídeos com números, seja o mais objetivo possível!

Afinal, diferente de um post ou um e-mail, em que é possível parar para compreender a informação, no caso do vídeo, a ideia é apenas assistir, sem precisar necessariamente pausar para precisar compreender algo.

4 – Pitch de vendas

Vai apresentar seu infoproduto para alguma empresa? Sócio ou algum possível parceiro para um aporte financeiro? Então use e abuse da storytelling com dados nessa apresentação.

Essa é uma das principais funções da storytelling com dados, então, por que não usar?

Mais uma vez, a dica dos elementos gráficos é essencial! Afinal, em muitos casos, o tempo do pitch é bem curto. 

Os ouvintes precisam captar toda a informação da forma mais rápida e simples possível.

Onde Conseguir os Dados? Passo a Passo

Storytelling com Dados: Onde Conseguir os Dados? Passo a Passo
Onde Conseguir os Dados? Passo a Passo

Aí vem a grande questão, onde você vai encontrar esses dados para criar o roteiro da storytelling com dados? Aliás, nem precisamos falar que não dá para sair inventando esses dados, certo?

Não importa onde essa storytelling vai ser utilizada: comunicação para seus alunos, para leads, para seguidores. Mesmo que seja um conteúdo que não seja divulgado externamente, os dados precisam ser reais!

Diante disso, como você vai coletar esses dados tão preciosos? Vamos apresentar algumas opções para você. Elas variam entre pesquisas com a sua audiência, ou então, utilizar dados de outros órgãos.

Passo 1: Utilize pesquisas relevantes

Todos os dias diversos órgãos disponibilizam pesquisas na mídia. Neste caso, você conta geralmente com uma grande amostragem e ainda, alia seu nome a uma instituição de credibilidade.

Ou seja, além dos dados, você ainda gera autoridade com esse conteúdo.

Vale lembrar que neste caso, é sempre importante divulgar os créditos da pesquisa. Tanto pela questão dos direitos autorais, quanto para acrescentar a credibilidade para seu nome.

Passo 2 : Colete dados com a sua audiência

O ideal é utilizar este recurso quando você já tem uma audiência cativa. Neste caso, você consegue criar dados bem específicos sobre o assunto do seu infoproduto.

Como por exemplo, você está preparando os conteúdos de lançamento do seu infoproduto, e precisa de provas sociais, depoimentos de pessoas que já utilizaram sua solução, para atestar sua eficácia.

Você pode então enviar um formulário de perguntas para essas pessoas através de um e-mail marketing, ou através do seu canal de telegram. 

Enfim, utilizar sua audiência é uma ótima forma de gerar dados. E o melhor, todos eles podem ser usados a seu favor.

Passo 3: Utilize as ferramentas das redes sociais

As redes sociais também são grandes geradores de dados!

E isso pode ser feito de duas formas: utilizando os relatórios que as redes produzem, como os relatórios do Facebook e Instagram. Eles, aliás, são ótimos principalmente para coletar dados demográficos e socioeconômicos.

Com eles também é possível entender o engajamento das suas redes. Esses dados também podem ser utilizados em materiais específicos, como em uma apresentação, ou no pitch de vendas.

Agora, se a sua busca é mais específica sobre determinado assunto, você pode utilizar as ferramentas de interação das redes sociais.

O Instagram e o Linkedin oferecem ferramentas de criação de enquetes. Elas são ótimas para conhecer melhor seus seguidores e claro, gerar dados!

Além de pesquisas quantitativas, as caixinhas de perguntas são uma ótima opção para gerar dados quantitativos.

Ou seja, gerar dados não precisa ser um bicho de sete cabeças. Ou aquele processo tão trabalhoso como antigamente, que você precisava buscar os dados ligando para seus leads ou batendo de porta em porta.

Hoje com as ferramentas e redes sociais, pode ser muito mais simples gerar sua própria pesquisa. E tudo isso sem precisar fazer um investimento financeiro na coletagem de dados.

Alguns Cases de Sucesso de Storytelling com Dados

Cases de Sucesso com Storytelling com Dados
Cases de Sucesso com Storytelling com Dados

Ainda não está totalmente convencido que números podem gerar boas histórias? Então vamos apresentar alguns cases de sucesso para você se inspirar.

Spotify

Se tem uma equipe que sabe usar muito bem o storytelling com dados, é a equipe do Spotify.

O streaming de música tem uma campanha chamada “Wrapped”, que é enviada todo final de ano para seus usuários.

A campanha começou em 2016, e busca apresentar as músicas mais ouvidas naquele ano por cada usuário. 

Como ela gera um conteúdo personalizado, é impossível não querer compartilhar. E eles tanto sabem disso, que já preparam o material no formato de stories, com a opção de compartilhar nas redes sociais.

O resultado? Os usuários além de relembrarem as músicas e podcasts mais ouvidos do ano, ainda geram um engajamento espontâneo enorme para o streaming.

Além dessa campanha anual, recentemente eles compartilharam o ‘mapa astral’ musical dos usuários, unindo duas paixões: música + astrologia.

Mais uma vez o poder de viralização foi enorme! Até quem não acreditava em signos, quis compartilhar seu mapa musical.

Nubank

Será que dá para transformar os gastos do cartão de crédito em uma boa história? Bom, o Nubank mostrou que isso é possível através da retrospectiva #MeuNu2020.

Diferente do case do Spotify, que coletou dados durante todo o ano para gerar uma história. O Nubank criou um questionário, que apontava os hábitos de consumo do seu público.

Como 2020 foi um ano extremamente atípico, com a vinda da pandemia do Coronavírus, muitas pessoas descobriram novos hábitos de compra.

E diante das respostas, eram gerados perfis de consumidores. A ação não somente viralizou, como também ressignificou os gastos do cartão de crédito, que normalmente tem uma conotação negativa.

Ou seja, uma pesquisa qualitativa gerou engajamento, viralizou e ainda estreitou os laços de relacionamento com os clientes.

Google Maps

Imagine se um dos maiores donos de dados do mundo não usaria a storytelling com dados nas suas ferramentas.

Um dos lugares onde o Google utiliza esse recurso é no Google Maps, na função “Histórico de Localização”.

Por lá você confere quais foram os lugares que você mais visitou, consegue ver as fotos que tirou na localização e até mesmo, o meio de transporte mais utilizado para chegar até lá.

O Google Maps ainda cria uma narrativa em cima dos seus hábitos, mostrando quanto tempo você utilizou no transporte público ou andando de bicicleta, por exemplo.

O Google Maps consegue unir os principais elementos do storytelling com dados: cenário, contexto e personagem, que no caso, é você mesmo.

Conclusão

Como você pôde perceber, o storytelling com dados transforma números em uma narrativa. Ela pode criar relacionamentos com seus leads, tem alto poder de compartilhamento e engajamento e ainda traz credibilidade para sua campanha.

Se antes os números pareciam ser uma fonte de informação muito rica, porém tediosa, com o storytelling com dados, eles se transformam em histórias que merecem ser contadas! 

Então, está pronto para coletar dados e transformar os chatos relatórios em boas histórias? Esperamos suas ideias e comentários por aqui.

 

 

Compartilhe o post:

Tags: , , , ,


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Siga-nos: